Luiz cláudio - O verso da pátria

9. O VERSO DA PÁTRIAAUTOR: LUIZ CLÁUDIOOuvi do Tietê às margens fétidasDe um povo enfermo um grito lancinanteÉ que o penhor da igualdade não existeToda essa históriaÉ um engano tristeMas eu não caio mais nessa nãoCansei de ser enganadoHoje eu tô com o cãoDesafia o nosso peito ó pátria amadaSalve salveSalve salveDe sonho e de esperança sobrevive o povoA cada novo enganoA cada novo logroÉ que hoje eu tô danado Eu tô com o cãoCansei de ser enganadoNão dá mais nãoMas se erguem da injustiça a clava forteVerás que os filhos teus irão à lutaNão teme quem te adora ó pátria amadaA única sagrada destes filhos teusJogado eternamente neste cantoTerceiro mundoDe quatro há geraçõesFiguras ó Brasil que em se levandoTudo dáTudo dáAh, que eu já tô gostando desta danaçãoAssim é que se aprende a ter mais atenção

Writers: Luiz Cláudio

Lyrics © Tratore

Lyrics licensed by LyricFind