O Rappa - Cruz de Tecido

Coração, pouso autorizado

Olhos em pânico refletem as chamas
Que cruzam o céu da avenida
De encontro a estrutura de aço e concreto
Muitas almas perdidas

A música chama atenção da nação
Nos chocando à sociedade
No plantão que conta a triste verdade

Se chocou o grande pássaro de aço
Às custas da imprecisão
Não tendo estrutura pra bater as asas
Não tire-os do chão

Jornais, preto e branco
Impressos em cores e
Números a não se contar
Um nove nove, a soma do caos
E ninguém a se pronunciar

Rosas coloridas em branca cruz de tecido
Provando a impunidade
E o descaso com quem faz
Um simples pedido

Quem foi, quem foi, quem foi, quem foi
Quem foi, você sabe quem é!
Quem foi, quem foi, quem foi, quem foi
Depois você sabe como é!

O fim da espera, e a certeza da dor
A confirmação dos nossos mortos
É o fim comprovado da angústia
De nossos velórios sem corpos

A Babel, civil, militar, babilônia está formada
Controladores sem controles, e uma tragédia anunciada

Uma tragédia anunciada
Controladores sem controles
Controladores sem controles
Controladores sem controles
Controladores


Olhos em pânico refletem as chamas
Que cruzam o céu da avenida
De encontro a estrutura de aço e concreto
Muitas almas perdidas

A música chama atenção da nação
Nos chocando à sociedade
No plantão que conta a triste verdade

Se chocou o grande pássaro de aço
Às custas da imprecisão
Não tendo estrutura pra bater as asas
Não tire-os do chão

Quem foi, quem foi, quem foi, quem foi
Quem foi, você sabe, você sabe quem é!
Quem foi, quem foi, quem foi, quem foi
Responsável pela dor de tanta gente?

Quem foi, quem foi, quem foi, quem foi
Quem foi, você sabe sabe quem é!
Quem foi, quem foi, quem foi
Quem foi, depois você sabe como é!

Rosas coloridas
Em branca cruz de tecido
Provando a impunidade
E o descaso com quem faz
Um simples pedido

Rosas coloridas
Em branca cruz de tecido
Provando a impunidade
E o descaso com quem faz
Um simples pedido

Controladores sem controles
Controladores sem controles
Controladores
Controladores
Controladores sem controles

Rosas coloridas
Em branca cruz de tecido
Provando a impunidade
E o descaso com quem faz
Um simples pedido

Rosas coloridas
Em branca cruz de tecido
Provando a impunidade
E o descaso com quem faz
Um simples pedido
Pedido, pedido, um pedido

Lyrics licensed by LyricFind