A banca 021 - Menina poeta

Se me chamar vou te buscar
Seja de busão ou a pé
A gente inventa
O que fazer

E não vai faltar amor
Toda vez que vejo chegar
Meio marrenta
Me rouba um riso e eu fico

Imaginando nós dois
E tudo que somos hoje e depois
De qualquer fato
Nosso jantar é um podrão barato

(Barato)

Quero te encontrar
Não importa o lugar
A saudade bateu
Não dá pra esperar


Oh uoh
Lembro de você e já fico zen
Imaginação vai mais além
Sinto o teu cheiro no meu travesseiro mesmo sem você aqui, meu bem
Uso a imaginação pra escrever um refrão que case com minha melodia
Mas eu quero ficar perto e casar meu violão com a sua poesia

Vem com medo, sem medo
Com pressa, sem pressa
Mas vem do seu jeito
Menina poeta
Faz tum tum no meu peito (tum tum no meu peito)

Nós não somos perfeitas e 'tá tudo bem

453, 775D
Se me chama eu vou
Barca, bici
Calendário corre, passa o mês
660, hornet, ninja, bis (vrum)

Corro pra te ter no abraço
A carícia em nosso dialeto
Num traço me refaço inteiro
Água, terra, fogo, ar e afeto
Se o fogo é o que nos restará
Me chama que eu vou te buscar
Pela ponte pra sentir o vento
Sem pressa, eu sigo devagar (devagar, devagar, devagar, devagar, devagar, devagar)

Writers: Hugo Rodrigues Macedo , Juan Carlos De Carvalho Quintino Nogueira , Felipe Costa Porto de Sa , Gabriel Lincon E Silva Santos

Lyrics ©

Lyrics licensed by LyricFind