D.a.m.a - Um bocado

Baby, eu sempre fui teu
Mas o pra sempre nunca foi para nós
Baby, eu sempre fui teu
Mas o pra sempre nunca foi para nós, não
Mas eu sempre te vi bem como ninguém, ya
Tu agora mesmo aqui e eu nem te vejo, ya
Nos afinal somos só mesmo cama e beijos, ya
Porque afinal nós nunca fomos tudo o resto

Nós só pensamos em que fosse tudo como era
Olha a loucura baby, ninguém vive só na primavera
O inverno trouxe as nossas nuvens
Baby nas nuvens, não com nuvens
Tu não existes, parabéns atrasados
A franzir o olho esquerdo, 'tás de braços cruzados
Não nos faças ficar tristes a cair aos bocados
E discutir outros assuntos, barcos afundados
Às vezes estamos de braços cruzados
Também sabe ficar bem, ficar assim encostado
Não me podes tratar bem 'tou a ficar mimado
E acabamos a conversa até daqui a um bocado


I can see what is happening
It is, for example, we admire the music of a certain composer
We draw up the rules of musical composition based on
what might be called the technique of music
As well as the technique of speech

Se eu não sou teu então não fui de ninguém
Eu nunca quis ser homenzinho só te quis tratar bem
Ouve bem
Tu tens o que mais nenhuma tem
Tu tens-me onde nenhuma me tem
E já te encontro no ponto em que ficamos
Não me apontes a cabeça quando solto também largo
E eu nem te solto, nem te largo
Fica mais um bocado, a nossa aura 'tá tão boa
Vou chegar atrasado

E só pensamos que isto fosse tudo como era
Olha a loucura baby ninguém vive só
Na primavera, não
O inverno trouxe as nossas nuvens
Fica nas nuvens, não com nuvens
Tu não existes, parabéns atrasados
A franzir o olho esquerdo, 'tás de braços cruzados
Não nos faças ficar tristes a cair aos bocados
E discutir outros assuntos, barcos afundados
Às vezes estamos de braços cruzados
Também sabe ficar bem, ficar assim encostado
Não me podes tratar bem 'tou a ficar mimado
E acabamos a conversa até daqui a um bocado

Lyrics licensed by LyricFind